Tenista argentino vence primeiro Future do Standard Bank Open

O tenista argentino Matias Descotte, que ocupa a 381ª posição do ranking da Associação de Tenistas Profissionais (ATP), sagrou-se vencedor do primeiro Future do Standard Bank Open, em singulares masculinos, cuja final teve lugar no sábado, 10 de Novembro, nos courts do Jardim Tunduro, na cidade de Maputo.

Para o efeito, Matias Descotte derrotou o zimbabweano Benjamin Lock, 446° no ranking da ATP e vencedor desta prova em 2015, por 7-6 (6) 6-2.

Com este feito, o argentino recebeu um cheque no valor de 132.800 meticais. Visivelmente cansado depois da partida, que durou cerca de três horas, o argentino mostrou-se satisfeito com o resultado. “Foi uma final bem disputada, mas com o calor do público consegui vencer”.

Matias Descotte considerou, na ocasião, que a qualidade do jogo da final é resultado da competitividade que caracteriza o Standard Bank Open, que conta com a participação de atletas internacionais de renome e com uma pontuação assinalável no ranking mundial.

Apesar de ter sido derrotado em singulares masculinos, o zimbabweano Benjamin Lock teve, também, motivos para celebrar pois venceu, ao lado do seu irmão, Courtney Lock, a final em pares masculinos. A dupla recebeu um prémio no valor de 57.000 meticais.

Na ocasião, Courtney Lock disse que a dupla se sentia privilegiada por participar no Standard Bank Open, “um torneio que proporciona aos atletas da região, e não só, a oportunidade de participar numa prova como esta (em alusão ao Future)”.

Por seu turno, o director de Marketing e Comunicação do Standard Bank, Alfredo Mucavela, afirmou que os jogos disputados, da qualificação à final, superaram as expectativas. Nesse sentido, Alfredo Mucavela reiterou “o sonho de vermos os tenistas nacionais a competirem ao nível dos atletas estrangeiros que participam na prova, em particular os finalistas, que nos proporcionaram um grande jogo”.

Já o presidente da Federação Moçambicana de Ténis (FMT), Valige Tauabo, considerou que a participação de atletas estrangeiros no Standard Bank Open é uma oportunidade para os tenistas nacionais se profissionalizarem. “Este é o caminho para a profissionalização dos nossos atletas.

Assistimos, hoje, a um ténis de qualidade e esperamos que os tenistas nacionais e os alunos que fazem parte do projecto de massificação de ténis nas escolas consigam atingir este nível e que participem em torneios mundiais, tais como o Davis Cup e o Fed Cup”, disse Valige Tauabo.

Importa realçar que, no sábado, para além da final do primeiro Future, arrancaram os jogos do Top Moz nas categorias Juniores e Veteranos, que vão decorrer durante a semana, a par do segundo Future, que inicia na segunda-feira, 12 de Novembro.

Pin It

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *