Standard Bank alivia sofrimento das vítimas do ciclone Idai

No âmbito das acções de apoio às vítimas do ciclone Idai, que assolou a zona Centro do País no dia 14 de Março, o Standard Bank procedeu, na terça-feira, 11 de Junho, à entrega de donativos à organização humanitária Visão Mundial Moçambique, que, por sua vez, deverá fazê-los chegar aos necessitados.

Constituídos por bens alimentares não perecíveis, vestuário, calçado, material escolar, redes mosquiteiras, lençóis, cobertores, produtos de higiene e de limpeza, entre outros, os donativos resultam de contribuições de colaboradores, clientes e outras pessoas de boa fé, em resposta a uma campanha lançada pelo banco.

Intervindo na cerimónia de entrega, o director de Marketing e Comunicação do Standard Bank, Alfredo Mucavela, explicou que o banco, para além de ter prestado um apoio aos afectados imediatamente após a ocorrência do ciclone, entendeu que o cenário de destruição causado pelo Idai requeria uma resposta mais robusta.

“Tratou-se do pior ciclone de que há memória, pelo menos na região Austral de África, cujo impacto deixou milhares de pessoas desalojadas, sem o que comer, para além de terem perdido todos os seus bens, o que levou o Governo a declarar luto nacional e um estado de emergência. Face à situação, o Standard Bank sentiu-se na obrigação de se juntar ao movimento de apoio aos afectados”, disse Alfredo Mucavela.

Na ocasião, o director de Marketing e Comunicação do Standard Bank referiu que, como acções imediatas, o banco enviou, na altura, um contentor para a cidade da Beira contendo medicamentos, purificadores de água, repelentes, redes mosquiteiras, lençóis, cobertores, insecticidas, detergentes e diversos produtos alimentares.

Por seu turno, o director nacional da Visão Mundial Moçambique, Wagner Herrman, considerou que o gesto do Standard Bank representa o seu compromisso de contribuir no processo de assistência humanitária às vítimas. “É um gesto significante, que vai ajudar nas acções que estão a ser levadas a cabo nas zonas afectadas. As dificuldades e as necessidades ainda persistem, e é de louvar quando diferentes segmentos da sociedade prestam este tipo de apoio”, afirmou o director nacional da Visão Mundial Moçambique.

Num outro desenvolvimento, Wagner Herrman garantiu que as equipas multissectoriais que estão no terreno têm envidado esforços no sentido de assegurar que, no mínimo, os afectados tenham condições para refazerem as suas vidas. “Juntos (Governo, sociedade civil, organizações humanitárias, entre outros intervenientes) vamos continuar a servir e a trabalhar para trazer de volta o que antes existia nas áreas afectadas”, sublinhou Wagner Herrman.

Pin It

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *