Através de kits oferecidos pelo INEP: Antigos combatentes garantem auto-sustento

Combatentes da Luta de Libertação Nacional e seus dependentes das províncias da Zambézia, Inhambane, Maputo-Próvíncia e Maputo-Cidade têm vindo a criar pequenos negócios para seu auto-sustento, graças aos kits oferecidos pelo Instituto Nacional de Emprego (INEP), no quadro da promoção de mais e melhores empregos.

Os visados beneficiaram igualmente de acções de informação e orientação profissional levadas a cabo pelo Instituto de Formação Profissional e Estudos Laborais Alberto Cassimo (IFPELAC), ao nível daquelas províncias.

Armando Mussapange, antigo combatente, faz parte dos 30 beneficiários da formação profissional nas diferentes especialidades e do kit para o auto emprego na província da Zambézia. Ele foi formado em 2017 na especialidade de carpintaria pelo IFPELAC, através do apoio da associação OSAMULISA.

No final da formação, recebeu do INEP um kit de carpintaria, através do qual tem vindo a fabricar mobiliário diverso na vila sede do distrito de Milange. “Com o negócio, tenho um rendimento mensal que vária entre 12 mil a 37 mil meticais, tendo ainda criado três novos postos de trabalho”, disse. Pangozo Liciro, filho de um antigo combatente, beneficiou igualmente da formação do IFPELAC, através da Associação OSAMULISA.

Com o apoio do INEP recebeu um kit de carpintaria, onde se dedica ao fabrico de objectos de arte que as vende na vila fronteiriça de Milange. O valor mensal das vendas varia entre 45 mil e 65 mil meticais.

“As minhas obras são muito apreciadas em Malawi, mas prefiro vendê-las em Milange, devido ao valor do metical face ao Kwacha. Trabalho em conjunto com mais três jovens, filhos também de antigos combatentes”, acrescentou.

Na província de Inhambane, de 2015 ao primeiro semestre de 2018, foram formados 43 combatentes e seus dependentes, que beneficiaram de 35 kits para o auto-emprego, sendo 33 individuais em Mafassane-Inharrime e dois na cidade de Inhambane, em duas associações onde já se criaram 10 novos postos de trabalho.

Estão ainda em formação 20 combatentes no centro de formação profissional de Inhambane, dos quais 7 provenientes dos distritos de Massinga e Mabote, beneficiam de cursos de agro-processamento e electricidade instaladora.

António Gulela e Juliana Carvalho, residentes em Mafassane, no distrito de Inharrime, são alguns dos exemplos das pessoas formadas no ano de 2016 pelo IFPELAC e que receberam do INEP kit de corte e costura. António Gulela, formado pelo IFPELAC em Gestão de pequenos negócios, recebeu um kit de corte e costura do INEP, através do qual faz vestuário diverso, de acordo com as tendências da moda e os gostos dos clientes.

O entrevistado pretende, com ajuda dos técnicos do INEP, submeter um projecto para ampliar o seu negócio, através dos fundos criados pelo Governo, para apoio à população. Juliana Carvalho coze roupa diversa, incluindo uniforme escolar, nos arredores da cidade de Inhambane, com o rendimento consegue prover o seu sustento e da sua família.

“Quando há procura por parte dos clientes, costumo contratar duas ou três pessoas para me apoiarem. Pretendo expandir o meu negócio e ensinar mais jovens a arte para que também possam ganhar dinheiro de modo a melhorarem as suas vidas”, anotou.

Na província de Maputo, um grupo de quatro antigos combatentes, do bairro Zona Verde, dedica-se à actividade de serralharia civil, na sequência do kit recebido do INEP em Dezembro do ano transacto.

O grupo foi formado em gestão de pequenos negócios, pelo Centro de Formação Profissional da Machava, no âmbito da parceria com a Direcção Provincial dos Combatentes. Com o kit recebido, o grupo já realizou diversas obras por subcontratação por bancos comerciais, construção de prateleiras para lojas, gradeamento de residências, tendo ainda criado um posto de trabalho.

Na cidade de Maputo, Edy de Sousa, filho de um antigo combatente, recebeu do INEP um kit de reparação de computadores, depois de ter beneficiado do respectivo curso no Centro de Formação da Electrotécnia. Este jovem pretende expandir o seu negócio e futuramente contratar outro pessoal de apoio.

Pin It

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *